sábado, 21 de janeiro de 2017

VARA DE FLY TFO BVK #6 - EU JÁ SABIA!



Há algum tempo tive uma TFO BVK #6. Muita gente pagava pau para essa vara, por isso mesmo comprei. Mas não me adaptei a ela, era difícil de arremessar uma linha #6 normal, achava a ação “ríspida”, “pesada”, e acabei passando para frente.
Achei que o problema fosse eu, até ver o comparativo de varas #6 do site Yellowstone Angler que saiu no final do ano passado, que confirmou tudo aquilo que eu pensava. Vale dizer que os caras da Y.A. adoram a BVK #8. Segue a tradução das conclusões deles sobre a BVK #6, no tocante ao desempenho:

Embora a BVK 8 wt, 9 pés, seja uma de nossas varas favoritas, as varas de peso de linha menor como 5 e 6 não se provaram tão boas. Essa vara é tão pesada no feeling (swing weight) que vai acabar com seu braço se você arremessar por muito tempo. A BVK 6 wt tem uma ação bem mais lenta que a BVK 8wt, e esta é uma razão pela qual sua performance não é tão boa.
Todo esse “swing weight” e a ponta relativamente dura mataram a performance a curtas distâncias. A curtas distâncias foi a pior vara no comparativo, e, a médias e longas distâncias, foi apenas um pouco melhor.

quarta-feira, 12 de outubro de 2016

DICA: CINCO ISCAS (DE FLY) FÁCEIS E EFICIENTES PARA QUEM ESTÁ COMEÇANDO NO ATADO




Para quem está iniciando no atado, às vezes é difícil saber por onde começar. São tantas iscas, tantos materiais...
Para facilitar a sua vida, segue abaixo uma listinha (minha opinião) com cinco iscas básicas e relativamente fáceis de atar que não podem faltar na sua fly box:

1 – Ração artificial: é a cachaça do povo, a alegria no pesqueiro. Podem ser feitas de várias maneiras, com vários materiais, como EVA, cortiça e deer hair. São muito fáceis de atar, então nem compensa colocar receita aqui. O importante é que se pareça com uma ração, podendo flutuar ou afundar, dependendo que que se quer. 

2 – Woolly bugger: a isca que pega quase tudo, de pacu a truta. Dificuldade nível médio. O que usa: chennille, marabou, uma pena (saddle), fio de chumbo para lastro, bead head (opcional) e um pedaço de arame ou de monofilamento. Passo a passo:https://www.youtube.com/watch?v=SaaXrUJl9zc

3 – Clouser minnow: streamer bem eficiente para praticamente qualquer predador, trabalha mais no fundo e com a ponta do anzol virada para cima, evitando enroscos. É fácil de atar, mas é preciso ficar atento para não exagerar no material. O que usa: na receita tradicional vai bucktail (duas cores), brilho e olhos de halteres. Passo a passo:https://www.youtube.com/watch?v=k0gX83J1Kvg
 
4 – Lefty deceiver:  streamer também muito eficiente, mais fácil de arremessar que a clouser, por ser mais leve. Dificuldade nível médio. O que usa: quatro penas (saddles), brilho, bucktail, fibras de penas de pavão (opcional), olhos (opcional). Passo a passo:https://www.youtube.com/watch?v=Efo7gblZj0s

5 – Chernobyl ant e terrestrials em geral: imitam um inseto na superfície. Eficiente em pesqueiros, principalmente nos meses de calor. Fácil de atar. O que usa: na receita mais básica vai tias de EVA e pernas de borracha. Passo a passo:https://www.youtube.com/watch?v=-GaOWLOM9rE